Durante o intensivo “Sim”, essa foi a principal sugestão que ouvimos de todos os lados: se quisermos construir um outro mundo, além de sentar em silêncio, precisamos sentar em roda e aumentar nossa capacidade de auto-organização e sonho coletivo.

Durante um mês, faremos diversas rodas de sonhos, conversas sobre interesses específicos, dificuldades e situações em comum… Os focos serão levantados pelos próprios participantes no primeiro encontro. Será um laboratório online para que cada pessoa comece a expandir essa inteligência, mais e mais, presencialmente, iniciando ou se envolvendo em processos de autoorganização que já existem por todo canto.

“Quando os sonhos são coletivos e nós vamos nascendo de modo positivo uns para os outros, a energia surge e vamos nos colocando em marcha. Vamos andando. […] Ser capaz de se auto-organizar é reencantar a vida.”

—Lama Padma Samten

As rodas serão facilitadas por Polliana Zocche, caseira do lugar e integrante da equipe da Revista Bodisatva. Polliana é graduada em Ciências Biológicas pela UNESC (Universidade do Extremo Sul Catarinense), com Mestrado em Ecologia pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e Doutorado em Ecologia pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas). Concluiu dois treinamentos intensivos do Trabalho Que Reconecta (criado por Joanna Macy), no Chile, e agora está começando a oferecer atividades baseadas nesta metodologia no Brasil e no Chile.

Ao sentar em roda, podemos explorar alguns processos:

  • Transição de aspirações individuais para sonhos coletivos
  • Desprivatização de nossas dores (nosso sofrimento é o sofrimento dos outros, da vida, do mundo)
  • Ampliação de nossa capacidade de andar em rede
  • Conexão via apreciação de qualidades uns dos outros e dos movimentos de autoorganização já existentes
  • Exploração de interesses específicos em pequenos grupos, de acordo com o que surgir, como trabalho com sentido e sobrevivência no mundo atual, educação, alimentação saudável, relacionamentos, saúde e medicalização, depressão e ansiedade, falta de tempo e sobrecarga, sistema carcerário, equidade social, refundação do Brasil…

Você deseja participar?

Como os encontros são online (em vídeo), pessoas de todos os lugares poderão participar! É bonito ver gente de várias regiões do Brasil e também de outros países.

As principais rodas acontecerão nos dias 18/3, 25/3, 1/4 e 8/4, às segundas, das 20h às 21h30. Haverá rodas menores com focos específicos (de acordo com o interesse das pessoas) em outros dias. E durante o ano inteiro seguiremos com rodas mensais para refinarmos essa inteligência coletiva.

Se não puder participar ao vivo de algumas rodas, não se preocupe: vamos gravar algumas introduções e você poderá não só participar de rodas em outros dias e horários como também agendar uma conversa específica, de acordo com seu interesse.

Esse ciclo será integrado às práticas e à comunidade do lugar. Apostamos em continuidade, não em ações isoladas e pontuais. No lugar já estudamos os livros O poder de uma pergunta aberta, Um coração sem medo, Meditação em ação para crianças, Escassez — e depois desse seguiremos com outros estudos. Todos os vídeos dos estudos seguem disponíveis. Isso sem contar as práticas semanais, intensivos e também meditações guiadas.

Se você já participa do lugar, não há contribuição adicional. Se participava, é só voltar.

Se deseja entrar no lugar para participar do ciclo “Sentar em roda”, veja como funciona: olugar.org

Para deixar o processo mais poderoso

Se quiser potencializar seu aprofundamento, sugerimos que você convide alguma pessoa próxima. É só indicar essa página: olugar.org/roda Além de ser mais fácil e natural ter alguém próximo imerso nas mesmas práticas, imagine o impacto social de mais e mais pessoas sentando em roda, se ouvindo, sonhando junto…

Um abraço e até breve!