SIM 2022: Intensivo online para sonhar outro mundo

Encontros com Eliane Brum, Ailton Krenak, Sensei Kritee Kanko, Zenju Earthlyn Manuel, Geni Núñez e Emersom Karma Kontchog, de 7 de fevereiro a 21 de março de 2022 — já começou, mas ainda dá tempo de entrar!

Arte de Fábio Rodrigues para o SIM 2022, a partir da contemplação da Opuntia monacantha

“Dizer não às más ideias e aos maus atores simplesmente não basta. O mais firme dos nãos tem de ser acompanhado por um sim ousado e visionário — um plano para o futuro que seja crível e atraente o suficiente para que um grande número de pessoas se movimente para vê-lo realizado.”

—Naomi Klein (no livro “Não basta dizer não”)

Em 2019 organizamos a primeira edição do intensivo SIM. A reação das pessoas foi tão forte que entendemos a necessidade de organizar esse intensivo anualmente. Nas edições de 2020 e 2021, convidamos grandes seres para nos orientar: Lama Elizabeth Mattis-Namgyel, Roshi Joan Halifax, Lama Padma Samten, Ailton Krenak, Reinaldo Nascimento, Kazuaki Tanahashi Sensei, Camila Nunes Dias, Geni Núñez e Thiago Ávila. Foi maravilhoso e acabou se desdobrando em muitos processos ao longo dos anos.

Agora, de 7 de fevereiro a 21 de março de 2022, faremos uma nova edição do SIM, dessa vez com Eliane Brum, Ailton Krenak, Sensei Kritee Kanko, Zenju Earthlyn Manuel, Geni Núñez e Emersom Karma Kontchog, para nos orientar por seis semanas de estudo e prática. Em seus trabalhos, todos manifestam a atitude visionária e propositiva que o Brasil e o mundo tanto precisam.

Será online, com cerca de mil participantes de todos os estados do Brasil e de mais de 20 países. Veja abaixo como será e comece o ano praticando em comunidade.

Eliane Brum, Osho Zenju Earthlyn Manuel, Sensei Kritee Kanko, Ailton Krenak, Geni Núñez e Emersom Karma Kontchog (leia sobre os professores convidados logo abaixo)

Um outro mundo é possível

Observe a quantidade de tempo que perdemos repercutindo falas absurdas de políticos, memes e hashtags, distraídos por uma enxurrada de desinformação. Sem querer, ficamos impotentes. Deixamos que a notícia do dia sequestre nossas conversas e defina nossos movimentos. Quando os problemas se intensificam, nossa reação habitual é negar, reclamar, nos juntar pela oposição, apontar culpados e inimigos. Isso quando não “ligamos o foda-se” e tentamos só buscar algum sucesso pessoal.

E se a gente começar a afirmar outra coisa? Em vez de apenas combater monstros e problemas, e se olharmos para a nossa própria bondade e criatividade? E se fortalecermos ainda mais nossas qualidades positivas, sonhos, visões amplas e relações? E se trocarmos desespero por compaixão, medo por alegria, autointeresse por comunidade?

2 minutos com Ailton Krenak, Joanna Macy, Roshi Joan Halifax, Reinaldo Nascimento e Tenzin Wangyal Rinpoche no SIM 2019 e 2020

É hora de retomar nossa dignidade. É hora de desbloquear nossa imaginação para expandir os limites do que hoje parece possível. É hora de dizer sim para um outro mundo. Se não deixamos nossa visão ser aprisionada, a vida ser rebaixada e as conversas serem pautadas externamente, somos muito mais poderosos do que parecemos. Como diz Alan Wallace, esse mundo precisa ser chacoalhado. E calhou de ser por nós! Quem mais poderia chacoalhar o mundo?

Convidamos grandes seres para sonhar conosco e sugerir práticas!

Ficamos muito honrados com cada “Sim” que recebemos ao convidar esses grandes professores. Agradecemos cada participante do lugar que torna possível fazermos esses convites em nome de toda uma comunidade.

Foto: Lilo Clareto (El País)

Eliane Brum

Eliane Brum é gaúcha de Ijuí e nasceu em 1966. É jornalista, escritora e documentarista. Eliane é a jornalista mais premiada do Brasil, segundo levantamento anual feito pelo site especializado Jornalistas & Cia. Em 2021, recebeu o Prêmio Maria Moors Cabot, oferecido pela Columbia University School of Journalism, de Nova York (EUA), o mais relevante prêmio de jornalismo das Américas e o mais antigo do mundo, por sua carreira.

Assina a direção e codireção de quatro documentários. O primeiro deles, Uma História Severina, foi reconhecido por 17 prêmios nacionais e internacionais. É colunista do jornal espanhol El País e colaboradora de vários jornais e revistas da Europa e dos Estados Unidos, como The Guardian e The New York Times. Jornalista há quase 35 anos e cobrindo a Amazônia há quase 25, desde 2017 vive e trabalha a partir de Altamira, no Médio Xingu, um dos epicentros da destruição da floresta amazônica.

Publicou oito livros no Brasil, além de participar de coletâneas de crônicas, contos e ensaios. A Companhia das Letras acaba de publicar seu novo livro: Banzeiro Òkòtò: uma viagem à Amazônia Centro do Mundo.

Ficamos em êxtase ao receber sua resposta ao nosso convite, dizendo: “Mas que lindo esse SIM!” Eliane Brum abrirá o encontro lendo um trecho de seu novo livro e depois responderá perguntas da comunidade.

Sensei Kritee Kanko

Sensei Kritee Kanko é cientista climática, líder de ritual de luto, sacerdotisa zen budista e professora de meditação. Sua formação acadêmica foi em engenharia, microbiologia e bioquímica no Instituto Indiano de Tecnologia (Nova Deli) e depois nas Universidades de Rutgers e Princeton (EUA).

Ela é fundadora da Boundless in Motion, uma organização que oferece sessões diárias de meditação online, rituais de luto comunitário, retiros Zen (sesshins) e retiros de cura para pessoas de cor (também conhecidas como pessoas de maioria global). A organização também oferece o “Dharma da Resistência”, um treinamento longo que promove estruturas e estratégias para realizar ações sagradas em defesa de toda a vida.

Kritee também é membro do conselho fundador do Rocky Mountain Ecodharma Retreat Center, que une meditação na natureza e ensinamentos do dharma para a ação ecológica, e do Frontline Farming, um grupo de advocacy que apoia pessoas de cor e mulheres agricultoras e se concentra no cultivo de alimentos , educação, mudança de políticas e justiça.

Como cientista sênior do Programa de Agricultura Inteligente Climática do Fundo de Defesa Ambiental, ajuda a implementar métodos ambientalmente amigáveis de agricultura de pequena escala para serem usados em grande escala na Ásia, com um objetivo triplo de erradicação da pobreza, segurança alimentar e mitigação climática. Ela adora ensinar explorando a espiritualidade e a ecologia, tendo já atuado como professora da One Earth Sangha, Earth-Love-Go (Lama Foundation), Impermanent Sangha e Shogaku Zen Institute.

Como líder de ritual de luto, Kritee acredita em identificar e liberar nosso luto pessoal e ecológico e trazer nossos dons para ações coletivas estratégicas de cura da sociedade. Kritee também dá conferências sobre a inseparabilidade entre clima e justiça racial em fóruns nacionais e internacionais.

Osho Zenju Earthlyn Manuel

Osho Zenju Earthlyn Marselean Manuel é poetisa, escritora, professora do Zen e curandeira. Zenju é um nome de dharma. Osho é um título que significa professor na tradição Zen. Ela é a herdeira do Darma de Buda e de Zenkei Blanche Hartman na linhagem de Shunryu Suzuki Roshi no Centro Zen de São Francisco. A prática de Zenju é influenciada pelas tradições indígenas nativas americanas e africanas.

É doutora em Aprendizagem Transformadora e trabalhou formalmente durante décadas como pesquisadora em ciências sociais e ativista em organizações que trabalham com mulheres, com arte e com saúde mental. É autora de vários livros, como The Shamanic Bones of Zen e The Way of Tenderness: Awakening Through Race, Sexuality, and Gender.

Geni Núñez

Psicóloga, mestre em Psicologia Social e doutoranda no Programa Interdisciplinar em Ciências Humanas na UFSC, com foco em estudos raciais e de gênero. Guarani e ativista no movimento indígena. Mora em Florianópolis e faz parte da ABIPSI, articulação brasileira de indígenas psicólogos. Durante a pandemia, escreveu e publicou o livro infantil Djatchy Djatere: o saci guarani.

No intensivo SIM de 2021, Geni ofereceu uma fala profunda, firme e serena. A comunidade toda ficou tão tocada que foi inevitável convidá-la novamente!

Dessa vez, Geni vai falar sobre como o marco temporal não só incide sobre a terra, mas também sobre nosso psiquismo, delimitando nossos sonhos, nossa imaginação e caminhos de luta e resistência. Para sentir-pensar sobre isso, Geni vai conversar conosco sobre o reflorestamento do tempo por meio da noção guarani de tempo espiralar.

Emersom Karma Kontchog

Emersom Karma Kontchog é monge budista brasileiro, ex-jornalista e ativista ambiental. Em sua newsletter Circular e também na coluna “Mente natural” no portal Ecoa (UOL), escreve sobre emergência climática e ecológica como parte dos movimentos globais para tentar reverter o processo avançado de autodestruição em que nos encontramos.

É um dos coordenadores do XR Regenerar, grupo no Brasil ligado à rede global Extinction Rebellion (XR), que explora ações de desobediência civil não violenta para lidar com nosso colapso climático, ambiental e social. Também integra o projeto Ativar, dedicado a apoiar ativistas em diferentes áreas por meio de métodos de meditação. Em 2013, recebeu ordenação monástica de Tai Situ Rinpoche, no monastério Palpung Sherab Ling, na Índia, e continuou pelos Himalaias estudando língua tibetana e filosofia budista, até 2015. Depois, se mudou para o monastério Palpung Thubten Choling, no interior de Nova Iorque (EUA), onde completou o tradicional retiro de três anos para a formação de lamas.

Emerson é um exemplo da nova geração que está se posicionando na interface entre espiritualidade e transformação social.

Ailton Krenak

Ailton Krenak é escritor, líder indígena e um dos maiores pensadores brasileiros. Seu inesquecível discurso na Assembleia Constituinte, em 1987, quando protestou pintando o rosto com a tinta preta de jenipapo, foi decisivo para o reconhecimento dos direitos indígenas na Constituição Federal. É Professor Doutor Honoris Causa pela UFJF e autor dos livros O lugar onde a Terra descansa, Ideias para adiar o fim do mundo, O amanhã não está à venda e A vida não é útil, pela Companhia das Letras.

Será nosso terceiro encontro com esse grande mestre! Suas duas falas nos intensivos SIM de 2020 e 2021 foram bem diferentes — uma delas virou um livreto e um ciclo de aprofundamento chamado Radicalmente vivos, inteiro disponível aos participantes — e ambas terminaram com uma sugestão de prática, que depois seguimos aprofundando ao longo de todo o ano, explorando de tempos em tempos.

A mediação será de Lia Beltrão, Gustavo Gitti, Fábio Rodrigues, Geovana Colzani e Daniel Cunha. Nos encontros com Kritee Kanko e Zenju Earthlyn Manuel, haverá tradução consecutiva para o português.

Processo de criação de Fábio Rodrigues

Onde começa um novo mundo?

“Eu queria que as pessoas olhassem para as plantas nascendo de novo.”
—Emicida

“A hora de florescer é agora.”
—Patti Smith

Diante de tanta ignorância, desigualdade, injustiça, preconceito e destruição, parece quase impossível saber por onde começar a transformação.

O Intensivo SIM e também a arte do Fábio Rodrigues, artista e um dos coordenadores do lugar, é inteiro inspirado pela visão da primavera, presente nos ensinamentos de Mestre Dogen e constantemente ensinada por Lama Padma Samten e Kazuaki Tanahashi Sensei, ambos professores do Fábio.

A cada ano, a flor e a arte mudam. Dessa vez, para o Intensivo SIM 2022, Fábio criou a partir da contemplação da flor da Opuntia monacantha, uma espécie abundante e presente do Rio Grande do Sul ao Sergipe, em áreas de Cerrado e Mata Atlântica.

“Quando a velha ameixeira se abre de repente, surge o mundo das flores desabrochando. No momento em que surge o mundo das flores desabrochando, a primavera chega.”

—Eihei Dogen

“Onde a primavera surge? A primavera surge dentro. Quando ela surge dentro, ela surge fora. Esse é o poder das flores. O velho tronco está seco e num certo momento ele produz flores em meio a um ambiente gelado. As pessoas veem as flores e dizem que é primavera. Antes de verem as flores, elas olham aquela paisagem e dizem que é inverno. Quando elas veem as flores, o gelo ainda está ali, mas elas começam a dizer que já é primavera!

Então, poderíamos pensar que o mundo vai se transformar pelas armas, ou por alguma coisa mais sólida, mas ele se transforma pelas flores! Acho isso muito comovente porque a visão de mundo muda e o impulso das ações acaba mudando junto.

Quando a sabedoria ou a compaixão se apresenta, ela não se apresenta pela força, ele se apresenta como flor. Ela se apresenta como mudança de visão e como essa mudança de visão pertence a própria natureza, ela não é uma artificialidade que está sendo construída… apenas estamos a reconhecendo.

Cada um de nós tem como missão principal produzir as flores correspondentes à primavera.”

—Lama Padma Samten
Falas curtinhas de Lama Padma Samten, Kazuaki Tanahashi Sensei, Geni Nuñéz, Camila Nunes Dias e Thiago Ávila no SIM de 2021

Quando e como será

Quando: de 7 de fevereiro a 21 de março de 2022. Os encontros acontecem às segundas, das 19h30 até às 21h30 (horário de Brasília), via Zoom. Não há problema algum se você não conseguir acompanhar ao vivo. É tudo gravado e os vídeos ficam disponíveis em uma página especial com materiais de apoio, práticas sugeridas, meditações guiadas e espaço de relatos.

Como: a cada semana, teremos uma palestra online (gravada e disponível na íntegra a qualquer momento), um texto de apoio e uma prática para experimentarmos coletivamente. Depois do SIM, vamos seguir assim por todo o ano, com outras práticas, meditações guiadas e ciclos de estudos em comunidade, toda semana.

Quer participar do intensivo SIM?

A participação no intensivo é inseparável da participação na comunidade do lugar. A cada semana, além do encontro principal, temos meditação ao vivo nas manhãs de silêncio (gravadas para você praticar a qualquer momento) e rodas do “Laboratório de autoorganização”. Apostamos em continuidade e em comunidade, não em ações isoladas e pontuais.

Além de 3 edições do intensivo SIM, ao longo dos últimos anos também oferecemos diversos ciclos de aprofundamento (como os mais recentes “Quando tudo se desfaz” e “Vida e morte”) e estudos anuais por pelo menos 12 semanas — já estudamos os livros Um coração sem medo, Quando tudo se desfaz, O poder de uma pergunta aberta, A lógica da fé e À beira do abismo. Todos os vídeos, áudios e materiais desses ciclos, intensivos e estudos inteiros seguem disponíveis para quem entrar agora.

Fim do encontro com Ailton Krenak logo antes da pandemia no Brasil, no SIM 2020
Ailton Krenak e 300 pessoas ao vivo no intensivo SIM 2021 (foram muitas telas dessas!)

Se você já participa do lugar, é só colocar na agenda e relaxar. Se participava e deu um tempo, é só voltar.

Se deseja entrar no lugar para participar do SIM, veja abaixo como funciona. O intensivo é mais um dos movimentos que fazemos de modo contínuo para apoiar o florescimento das pessoas.

Convide uma amiga

Temos percebido que muitas pessoas que participam da comunidade estão convidando amigas e parentes, pois facilita ter alguém próximo imerso nas mesmas práticas e contemplações. Portanto, se quiser potencializar seu aprofundamento, sugerimos que você convide duas pessoas próximas para o intensivo. Nossa transformação só vai se tornar natural e contínua se a rede ao nosso redor mudar também.

Além disso, estamos em um ano importantíssimo para o futuro do Brasil. Vamos precisar de muita clareza, compaixão, entusiasmo, magnetismo e poder de organização para mobilizar as transformações que tanto sonhamos. Imagine que maravilhoso se mais pessoas ouvirem e ressoarem a sabedoria de Eliane Brum, Ailton Krenak, Sensei Kritee Kanko, Zenju Earthlyn Manuel, Geni Núñez e Emersom Karma Kontchog…

É só ligar para a pessoa ou enviar o link para essa página: olugar.org/sim

Se preferir, você pode dar de presente: olugar.org/presente

O que é o lugar?

O lugar é uma comunidade online para pessoas dispostas a fazer o trabalho (diário, paciente e às vezes sujo) da transformação. Cada pessoa é desafiada a se familiarizar com seu mundo interno e investigar diretamente, colocando à prova da experiência: Como a gente se transforma, pra valer, sem oba-oba ou fogos de artifício, com o pé no chão do cotidiano? O que é felicidade genuína? Como aproveitar os problemas nos relacionamentos, no trabalho, nas finanças, na vida em geral, em um caminho de florescimento humano? Como viver mais em comunidade?

Uma prática por semana, todos juntos

Cada vez mais desconfiamos de ações isoladas e pontuais, de epifanias e oba-oba. Apostamos em continuidade, em praticar e tornar vivo o que já estamos cansados de entender. A cada semana, todos os participantes do lugar se juntam para experimentar uma prática e conversar sobre suas experiências, afinal estamos sofrendo do mesmo adoecimento coletivo: ansiedade, depressão e falta de sentido, ciúme e carência, raiva e competição…

Para você entrar e participar do lugar

O lugar é uma empresa bem pequena (veja quem somos). Somos sustentados pela generosidade direta dos participantes, que se alegram em apoiar esse trabalho e tornam possível tudo o que organizamos e oferecemos ao longo de todas as semanas do ano, desde 2013.

Para entrar e participar, o valor é R$ 96* por mês, via cartão de crédito. A liberação de acesso é imediata e você pode cancelar a qualquer momento. Para entrar via cartão de crédito, clique abaixo.

Se preferir depósito bancário (demora 2 dias), clique aqui. Se você fala português, mas não é brasileiro (não tem CPF), escreva para nós: coordenacao@olugar.org

Quero Entrar

*Se você você sentir que esse valor não se adequa à sua realidade (especialmente se estiver em situação de vulnerabilidade social), não deixe que dinheiro seja um obstáculo. Isso só é possível pela generosidade de todos os participantes atuais. Preparamos uma página especial para você pedir o apoio da comunidade.

Nos vemos no lugar. Será um prazer seguir mais junto de você!